Buscar
  • Ciça Barbi

Coincidência?

Sumi daqui. De novo. Porque sim. Porque, como o próprio nome do blog já diz... me deu na telha? Apareço. Me deu na telha? Dou um tempinho fora. Mas, mais uma vez, pretendo voltar com tudo agora! Afinal, desde o último post minha vida deu uma belíssima reviravolta!


ALERTA TEXTÃO!!!


Há mais de 1 ano eu já vinha falando em morar em SP. Mas sempre acontecia alguma coisa (como o acidente que contei aqui) que adiava minha busca por uma casa, que deixava esse sonho um pouco mais distante. Pois bem: no começo desse ano resolvi entrar para um clube de leitura e, por lá, conheci pessoas maravilhosas! Entre quase 2 mil integrantes (que faziam parte do grande grupo do Telegram) "peneiramos" 11 que se transformaram em uma verdadeira família espalhada pelo Brasil e pelo mundo. E foi ali que minha mudança ficou mais próxima!



Uma semana antes da quarentena começar, vim a SP a trabalho e me hospedei na casa de uma amiga (que eu nunca tinha visto pessoalmente nem por chamada de vídeo!) e do marido dela. Conversando tempos depois, ambas admitiram que tinham medo de rolar um constrangimento inicial, já que a gente só se conhecia pelo Telegram e pelo Instagram, mas o silêncio jamais existiu. Nem por míseros 2 segundos. Foi um verdadeiro reencontro que vivemos ali. Passei quase uma semana por lá e descobrimos inúmeras afinidades além das que já haviam nos unido naquele seleto grupo batizado como "Diretoria".


Obviamente ela sabia da minha intenção de mudar para SP, mas, então, veio a pandemia, aparentemente afastando mais ainda esse momento tão esperado por mim. Algum tempo depois... recebo uma chamada de vídeo dela dizendo, basicamente: "pode parar de olhar quarto para alugar na casa de estranhos... estou me divorciando e você vai morar comigo!". E assim foi! No meu aniversário (31 de julho) recebi, na casa do meu pai, para um fim de semana que jamais vai sair da minha memória, ela e mais um amigo que também é parte da Diretoria. Nessa ocasião, marcamos minha mudança, já que o apartamento que ela iria morar já tinha data para ser devolvido.


Pois bem... tudo isso para dizer que, há duas semanas e alguns dias, exatamente dia 4 de outubro, saímos os três, de carro, de BH para SP trazendo a parte material essencial da minha mudança. Em menos de uma semana já ouvi deles: "você está completamente diferente!", e achei um excelente feedback! É que agora estou, verdadeiramente, sendo eu. Sem a caixinha que BH coloca nas pessoas, já que por lá todo mundo conhece todo mundo (ou, pelo menos, já ouviu falar no primo do tio daquela pessoa) e, por isso, sempre procurei mostrar que era quem eu achava que os outros gostariam que eu fosse. Confuso, né?


Desde que passamos pelo local do acidente, mais precisamente uns 10-15 minutos depois, coisas estranhas começaram a acontecer. Primeiro... meu chip queimou - e, como ele é em nome do meu pai, não pude resgatar na loja da operadora, mas tudo bem, ele vai me mandar um novo em breve! -, alguns (poucos!) dias depois... de quarta pra quinta-feira... meu dinheiro sumiu da minha conta como que por encanto. Só na terça seguinte consegui descobrir que meu cartão havia sido clonado. Mas tudo bem, já resolvi mais esse problema, falta só o novo cartão chegar e os estornos serem feitos. Estamos dentro do prazo. Para finalizar... anteontem à noite meu Instagram pessoal foi desconectado porque "atividades suspeitas foram detectadas" em um momento que nem na tal rede social eu estava. Dados de confirmação enviados: conta suspensa por 24h para análise das informações. Ok. 24h depois: conta DESATIVADA! Sim, meus amigos, meu perfil pessoal não existe mais (por enquanto: já enviei a documentação solicitada pelo Facebook, então estou na torcida por aqui. Torçam comigo!). Ah! E uma coisa muito importante: apesar dessas coisas todas terem acontecido, o saldo da minha mudança, como vou contar melhor depois, está sendo muito positivo! Inclusive essas coisas eu estou considerando como um "reboot", sabe?! Uma coisa meio "não era recomeçar que você queria, minha filha?!".



Em um primeiro momento fiquei transtornada. Sentindo algo que não me lembro de já ter sentido na vida: ódio por causa da injustiça. Vi que aquilo estava me fazendo muito, muito mal. E que só fazia mal a mim mesma. E lembrei do @me.deunatelha largado às traças há meses! Então... resolvi entrar lá para ver alguns Stories, seguir perfis necessários (como os dos cursos que estou fazendo)... e, ao mesmo tempo, estava tentando lembrar de alguma música que me trouxesse paz. Porque aquele sentimento não podia me dominar. Lembrei, imediatamente, do musical "Francisco de Assis", do Ciro Barcelos, que assisti algumas vezes na minha adolescência, e fui procurar as músicas no Spotify. Em vão. Corri para o YouTube e, por lá, achei a versão do espetáculo produzida pela Globo. Dei play imediatamente, óbvio!



A paz que preencheu meu peito foi tão surreal... que comecei a chorar copiosamente (mas sem raiva alguma, só lavando a alma mesmo), me arrepiei inteira... e me lembrei de algumas coisas:


- Todo mundo precisa (PRE-CISA!) de uma válvula de escape que encha o coração de paz. Se você não sabe qual é a sua, corra atrás para descobrir. Se já sabe, me conte qual é aqui nos comentários! Vamos compartilhar!

- São Chiquinho (como sempre chamei São Francisco de Assis carinhosamente) era um sujeito fantástico, com valores e ensinamentos lindíssimos!

- O dia de São Francisco de Assis é... dia 4 de outubro. Exatamente o dia da minha mudança. Você acredita em coincidências?


Pois então... eu não.

50 visualizações

©2019 por Me deu na telha.